Blogue

Uma reflexão do associado A. P. sobre a AG do dia 3 de novembro, em Minde

Estamos a caminho, aqui, agora,

Neste lugar onde habitamos

Houve um antes, haverá um depois e há um agora, tempo da economia enfeudada ao capitalismo financeiro que comanda as sociedades.
Há também outro agora: estamos a caminho de uma economia solidária, alternativa para erguer um mundo justo que assegure as condições para o exercício ético da liberdade e do bem-viver de todas as pessoas.

No domingo, 3 de novembro, em Minde, a Assembleia Geral da Rede Portuguesa de Economia Solidária confirmou a afirmação da rede, com base no trabalho de cooperação entre pessoas, associações, cooperativas e coletivos que animam práticas de economia solidária.
Entendemos por economia solidária os processos formais e informais de produção, de troca, de distribuição, de consumo e geração de rendimentos e de poupanças, que conjugam a valorização das dinâmicas sociais, económicas e ambientais de proximidade com a solidariedade horizontal, numa perspetiva ecológica, com diversidade cultural e reflexão crítica.

A Rede Portuguesa de Economia Solidária – RedPES, tem uma missão: agregar, afirmar, apoiar e divulgar as organizações, grupos informais e pessoas individuais, que se identifiquem com o conceito e as práticas colaborativas de Economia Solidária.
Este conjunto de práticas e de relações sociais, participação coletiva e cooperação, assentam na democracia que envolve todos, na auto-sustentação e promoção do desenvolvimento humano e da equidade de género, na responsabilidade social e preservação do equilíbrio dos ecossistemas.

Por fim, a RedPES tem objetivos:
• Definir e reforçar a  identidade da economia solidária (e da RedPES), promovendo o seu reconhecimento na sociedade.
• Reforçar e capacitar as suas organizações e grupos, diversificando a sua base de conhecimento e a partilha de boas práticas, em interação com outras redes e a sua internacionalização.

Temos de habitar o nosso tempo, de estar no nosso sítio, neste contexto social e cultural, com uma visão não-conformista de hoje e de futuro, com soluções colaborativas e transformadoras.

Esperamos que os amigos partilhem esta visão, de novo em Minde, onde vai acontecer o Encontro Português de Economia Solidária, em data que será divulgada oportunamente.

“Abriga-te no sopro corrido e fresco do mar…”, Sophia de Mello (Livro Sexto) (62)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *