Boletim TransEco #01 | Fórum Social Mundial das Economias Transformdoras

Home Fóruns Fóruns RedPES – Discussão Geral Boletim TransEco #01 | Fórum Social Mundial das Economias Transformdoras

Este tópico contém 0 respostas, tem 1 utilizador, com a última actualização feita por  saritamoreira Há 1 mês, 3 semanas.

A visualizar 1 artigo (de um total de 1)
  • Autor
    Artigos
  • #3697

    saritamoreira
    Participante

    Boa noite!

    Segue um apanhado/tradução dos últimos comunicados enviados pela organização do Fórum Social Mundial das Economias Transformadoras (FSMET), que será celebrado em Junho de 2020 em Barcelona.

    Se quiser passar a receber este boletim por email, deve aderir à mailing-list TransEco, bastando para tal ir a:
    1 – https://lists.riseup.net/www/info/transeco
    2 – clicar no botão verde “Inscrever” à esquerda
    3 – inserir email que deseja registar
    4 – receberá por email uma mensagem de confirmação que deve clicar

    Para quem está a entrar de novo no tema, o FSMET pretende ser – mais do que um fim em si mesmo – um pretexto para a convergência a várias escalas (da local à global) das organizações que trabalham em prol de uma transformação da economia e da sociedade. Escrevi sobre isso num artigo do Jornal Mapa que está disponível neste link.

    Até agora já houve dois encontros internacionais preparatórios em Barcelona, e já começaram também a surgir eventos de confluência regional em vários locais do globo, como a Venezuela e o Uruguai, e foram estabelecidos compromissos simbólicos, como o de dois activistas da índia que farão a Rota da Seda a pé até Barcelona para chegar ao fórum.

    Aqui podem assistir a um bom vídeo-resumo do primeiro encontro internacional que teve lugar em Barcelona em Abril de 2019: https://youtu.be/QXFfPgQCSlo

    E aqui um resumo das principais conclusões dos debates e processo de construção colectiva do encontro realizado nos dias 18 e 19 de Julho em Barcelona: https://cloud.transformadora.org/s/QB5YGyGjjrjF4fk#pdfviewer

    NOVO COMITÉ COORDENADOR

    No encontro de Julho foi definido um novo Comité Coordenador que substitui e expande o anterior Grupo Impulsionador (formado pela REAS, RIPESS e XES), e é composto por representantes das seguintes redes e organizações:

    Urgenci

    Colacot

    Global Platform for the Right to the City

    WoMin

    Systemic Alternatives

    Ecolise

    Ripess

    DAWN feminist

    REAS

    REMTE

    CITIES

    FMDV

    FEBEA

    WFTO

    AFSA

    Transform! Europe

    Campaña Currículum Global para la Economía Social y Solidaria

    Habitat International Coalition

    Commons Network

    Red de Mujeres del Mundo

    Remix the Commons

    XES

    Confluência anfitriã de Barcelona

    Porque é importante para estas redes participarem no processo rumo ao FSMET2020? Saibam aqui: https://www.youtube.com/watch?v=00AIgArvgDs&feature=youtu.be

    Este comité vai gerir a governação do processo tendo em conta critérios estabelecidos na reunião, como: o respeito pela diversidade, a transparência e a democracia, a ligação da estrutura aos objectivos e resultados esperados, fazer da governação um espaço de construção colectiva, promover a participação e contribuições de outras redes (com espaços, estruturas e recursos organizados), e manter a ligação aos outros Fóruns Mundiais Sociais.

    Algumas das tarefas que as redes terão em mãos no processo que levará ao FSMET 2020 são: envolver outras redes, organizar eventos virtuais para promover a participação no FSMET, participar na produção de conteúdo e apoiar a angariação de fundos.

    COMISSÕES DE TRABALHO

    Foram criadas as seguintes comissões de trabalho, ligadas ao Comité Coordenador e apoiadas pela equipa operacional do FSMET:

    Comunicação e extensão

    Logística (em Barcelona)

    Acolhimento e cuidados

    Conteúdos

    Construir um projecto colectivo

    Intercâmbio e mapeamento de experiências

    Actividades a continuar com o Fórum

    Metodologia e facilitação

    Economia (dinheiro + recursos humanos + gestão de assuntos colectivos)

    Criatividade social e artes

    Mobilização e promoção internacional

    Participação virtual

    COMO IMAGINAMOS O FSMET 2020?

    Para além da discussão sobre a estrutura, na reunião de Julho foram criados espaços para imaginar como é que o FSMET2020 poderia ser, tendo em conta critérios como diversidade e equilíbrio (de género, etnias, etc).

    Por um lado foram feitas propostas para actividades durante o Fórum: espaços ágora com oficinas e micro-palestras; visitas guiadas a diferentes projectos transformadores; espaços auto-geridos; espaços de participação virtual; espaços de criatividade; espaços de mapeamento; fóruns para as crianças; escolas de activismo; espaços intergeracionais e até um jogo de “escape room” inspirado nas economias transformadoras.

    Por outro lado, as pessoas que participaram propuseram que todas essas actividades convergissem num acto central com grande visibilidade, que imaginaram que pudesse ganhar a forma de uma feira ou exposição, acções descentralizadas, mobilização virtual, um grande jantar popular na rua ou diferentes manifestações na cidade, bem como actividades antes do FSMET em diferentes lugares.

    Também foram tidos em conta diferentes actores que deveriam estar envolvidos mas não têm tido participação significativa no processo. Movimentos feministas globais; comunidades indígenas; movimentos okupas (de áreas rurais, urbanas e suburbanas); luta contra as alterações climáticas; movimentos espirituais; escolas, professores e estudantes de todos os níveis; academia; movimentos juvenis; produtores de alimentos; pessoas das comunidades rurais; redes que trabalham questões de dívida e justiça social; movimentos pelo decrescimento; movimentos de trabalhadores; sindicatos; movimento internacional cooperativista; universidades; agências das Nações Unidas; jornalismo alternativo; economia digital ligada aos direitos laborais do trabalho digital; comunidade LGBT com uma visão crítica em relação aos poderes corporativos; agentes da reciclagem de desperdício; pessoas ligadas à Teologia da Libertação; outros fóruns semelhantes ao FSMET; movimentos de homens contra o patriarcado; agentes da Ásia e Oceânia foram mencionados enquanto actores que deveriam estar envolvidos a partir de agora.

    Todo este esforço em termos de imaginação, criatividade, planeamento e estrutura é só o primeiro passo: continuemos tod@s nós a construir o FSMET!

    Saudações solidárias,
    Sara

A visualizar 1 artigo (de um total de 1)

Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.