A UNIVERSIDADE DO BOM VIVER É POSSÍVEL?

Por

Desafio às universidades e escolas superiores de Portugal

Tópico: UMA UNIVERSIDADE DO BOM VIVER É POSSÍVEL?
(Primeiro encontro UBV em língua portuguesa)
Hora: 28 out 2020 | 9-11h AM São Paulo/Buenos Aires | 13-15h CET

Entrar na reunião Zoom: https://us02web.zoom.us/j/87556962194

Anfitrião: CECIP Centro de Criação de Imagem Popular
ID da reunião: 875 5696 2194
Senha: 909568

Junte-se a ativistas sociais do mundo inteiro que estão sonhando coletivamente uma Universidade do Bom Viver. Já aconteceram duas reuniões virtuais, impulsionadas e organizadas pela Campanha por um Curriculum Global da Economia Social Solidária, no marco do Fórum Social das Economias Transformadoras uma em Espanhol e outra e Inglês, reunindo representantes de organizações e movimentos de cerca 20 países dos quatro continentes. Esta é a primeira reunião em Português, faremos a 2ª reunião em inglês e em novembro haverá reuniões em japonês. Venha, pois como diz Boaventura Santos, em áudio em que apoia essa iniciativa planetária,  é hora de “União, união, união! articulação,  articulação, articulação “!

Participar da Campanha por um Currículo Global da Economia Social Solidária

No âmbito da implementação da Agenda 2030, e considerando que a base para a realização de todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), ou Objetivos Mundiais, é uma Educação de Qualidade (Objetivo 4), partindo da crítica ao atual modelo de economia predatória e dos padrões insustentáveis de produção e consumo (Objetivo 12), nós, um coletivo de organizações e redes de Economia Social e Solidária, tomamos a iniciativa de propor uma Campanha por um Currículo Global de Economia Social Solidária (1).

A campanha propõe um Currículo Global baseado em um núcleo de princípios socioeconômicos e práticas sustentáveis relevantes em todo o mundo e que cada currículo nacional poderá adequar às diferentes necessidades que se apresentem em seus territórios, atendendo a diversidade de culturas e costumes existentes. Um currículo que consolide as bases dos processos solidários de uma economia justa e igualitária capaz de erradicar a pobreza material e espiritual, como demonstram as milhares de experiências no mundo em segurança alimentar, com produção sem agrotóxicos que, além de uma alimentação sadia e responsável, gera vínculos de respeito com a natureza  da terra, o ecossistema em geral e as mudanças climáticas em particular.

(…)

Não partimos do zero, já existe um longo caminho percorrido pelos países e importantes iniciativas, muitas delas reconhecidas e apoiadas pela UNESCO, no contexto da Educação para a Cidadania Global, como o projeto “Global Curriculum” (2010-2012), dirigido por três organizações europeias, uma brasileira e uma de Benin, África, que reuniu educadores da Áustria, Benin, Brasil, República Tcheca e Reino Unido, na preparação de cinco manuais do Currículo Global (2) – um por cada país. Na mesma direção, entre 2013 e 2015, o projeto “World Class Teacher” (Professor de Classe Mundial) foi desenvolvido por organizações de sete países europeus e consultores especialistas do Brasil e Benin.

Em outras partes da Europa, os jovens líderes do Movimento de Escoteiros tem guiado suas ações pelos princípios da cidadania e da sustentabilidade global. Na América Latina se destacam, entre outras muitas iniciativas, as do Instituto Paulo Freire do Brasil, que implementa nas escolas a abordagem da ecopedagogia; o Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP), que representou no Brasil o Projeto Curriculum Global, e difunde o conceito de Educação para a Cidadania Global no Curriculum Global Brasil; a Rede Internacional de Educação e Economia Social Solidária, formada por organizações e membros do Equador, Brasil, Bolívia, Cuba, Colômbia, Chile, Uruguai, Paraguai, México, Peru, Venezuela, França, Espanha, Nicarágua e Argentina. Na África, destacamos as experiências de Nego-Com, no Benin, e Amani Kibera, no Quênia. Na Ásia, Oceania e inclusive no Oriente Médio se realizam ações educativas para superar o modelo econômico que produz desastres sociais e ambientais em escala planetária.

(…)

acede ao artigo completo no endereço: https://curriculumglobaleconomiasolidaria.com/portugues/convite-para-participar/

Deixe um comentário

%d bloggers like this: